As Medidas de Autoproteção: Segurança Contra Incêndios na sua empresa

A adoção de comportamentos preventivos, a informação e formação, é fundamental para evitar acidentes de trabalho. Todos(as) os(as) trabalhadores(as) têm de estar conscientes relativamente às práticas que devem ter, de forma a reduzir e eliminar os riscos da ocorrência de situações de emergência e acidentes.

Todas as empresas têm a obrigação de oferecer segurança aos(às) seus(uas) colaboradores(as), clientes, fornecedores, e a todas as pessoas que usufruam do espaço da mesma.

A elaboração das Medidas de Autoproteção é obrigatória quer para edifícios e recintos novos quer para os existentes:

As Medidas de Autoproteção (art. 21.º e 22.º, do D.L. 220/2008) são um conjunto de medidas destinadas a:

  • Prevenir e controlar os riscos que possam visar as pessoas e bens;
  • Dar uma resposta adequada às possíveis situações de emergência (p. Ex.º. Sismos, Incêndios, Explosões, Intrusão);
  • Garantir a integração destas ações como instrumento de prevenção e emergência.

Existem diversas situações que podem ser responsáveis por provocar um incêndio, tais como, as descargas elétricas, a utilização de equipamentos, a sobrecarga nas instalações, a falha humana, entre muitas outras.

Seguem algumas dicas essenciais para que a sua equipa esteja preparada e consciencializada sobre os cuidados a ter na prevenção de um incêndio no local de trabalho:

  • Sinalização adequada das ações em caso de incêndio

É extremamente importante haver um investimento no material e na sinalização de emergência, para que seja bem visível a todos(as) os(a) os trabalhadores(as), clientes e todas as outras pessoas que possam circular nas instalações da empresa.

 

Nota: O nosso cérebro não consegue analisar as situações de forma completamente racional. São várias as placas de sinalização que vemos perto de elevadores que dizem “Em caso de incêndio não utilize o elevador”. Numa situação de emergência, em que podemos facilmente entrar em pânico e não conseguimos ter tanta clareza no raciocínio, o nosso cérebro vai relembrar-nos das palavras “incêndio” e “elevador”, e corremos o risco de fazer a ação contrária à que é suposto realizarmos. Por isso tenha o cuidado de utilizar linguagem afirmativa nas placas de sinalização como por exemplo “Em caso de incêndio, utilize as escadas”.

 

  • Evitar obstruir vias de acesso

Muitas vezes existe o facilitismo por parte dos(as) profissionais das empresas, que acabam por colocar materiais e equipamentos, mesmo que seja de forma temporária, nos locais destinados a saídas de emergência, corredores, escadas, plantas, entre outros. Estes locais devem estar sempre desobstruídos, de forma a que numa situação de emergência as medidas de socorro cheguem mais fácil e rapidamente ao local.

 

  • Manutenção regular da rede elétrica, sobrecarga de tomadas e manutenção de máquinas e equipamentos de trabalho:

É necessário proceder à verificação regularmente as tomadas elétricas, evitar a sobrecarga das mesmas. Cumprir regularmente com os procedimentos de manutenção e inspeção de máquinas e equipamentos de trabalho, proceder à sua limpeza e lubrificação, quando aplicável.

 

  • Formação

As ações de sensibilização e combate a incêndios em edifícios são muito importantes, para que os(as) trabalhadores(as) estejam preparados para agir numa situação de emergência que possa ocorrer nos seus locais de trabalho. Além disso, são fundamentais para que os(as) mesmos(as) saibam como manter a calma e não entrem em pânico perante tal ocorrência.

 

Os acidentes de trabalho têm custos para o(a) trabalhador(a) e para entidade empregadora, é por isso essencial, adotar comportamentos preventivos e estar informado(a) sobre as práticas que podem reduzir e eliminar riscos.

Nota: A prevenção é um dever de todos!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *